terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Amanhã Agora

O ocaso de uma velha vida
e a aurora de uma existência nova
entoam em tons azul cinza azulado
quando não cinza'zul acinzentado,
a premissa de muitas honrarias.
O prenúncio absoluto de total
glória, um belo ' há Manhã' no
olhar da minha filha me diz que
tudo novo começa agora.

Eu de novo e não
o mesmo, mas o
mesmo eu em outro
buscando também
(em tudo que somos)
fazer historia.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Chuva

Chuva de um céu em
suor, nuvens brancas
de brancura açúcar e
algodão, cingem em
cinzas lágrimas doces
de sal.
Chove e chora o céu
a cantar a melodia das
águas que fartas e vastas
caem como se um mar
estivesse a desabar,
sobre nós a muitos
pés, sob os pés de Deus
a muitos nós vindo
aqui com nós se banhar.

Amo

Mais clichê dizer que
te amo
é o ressentimento
amor que engano,
é de praxe nele me
perder para me
encontrar em você,
Deus do abandono.

Eu amo, eu amo,
eu amo, amo,
embora você não
exista, eu não desisto
de insistir,
para mim mesmo,
em momentos de
total desespero que
posso contar contigo,
Deus etéreo dos mundanos.

Mas eu sei que você
sabe que você é só
estúpida invenção
humana, e eu,
sua mais perfeita
criação, Deus que
tanto amo.

Sangria

Em qual saúde a tua vida
agoniza, em que esquina
perde o rumo quem te guia?

Teu deus
tua existência
ojeriza.

Não existe céu para quem
não quer voar, para aqueles
que rastejam, sob a terra é
paraíso, é caríssimo lar.

Se és barro e pó,
estas em casa,
amigo anelídeo,
e teu deus é
sanguessuga.

Mudo, Pensativo e Quieto

O silêncio que me observa é primitivo,
são os olhos de Deus, o murmúrio do
invisível em silvos que os mesmos
olhos em piscadelas destilam.
O silêncio das cavernas,
de um tempo em que Deus não existia,
sinto-o agora a me espreitar,
sonda-me, como dito antes,
como antes do tempo,
o nascimento do tempo já estava ele
a presenciar.

Mudo, pensativo e quieto.

O silêncio é propenso a sempre
diante de todo grande acontecimento
se calar (manifesta-se).
É covarde, diria alguns, eu, sem
pretensão alguma digo que é sábio.
Assim como Deus, pergunta-me
os mesmos, não, sábio, não covarde,
covarde ignora, sábio observa.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Pecado

Já fui Deus quando ainda
não havia céu,
hoje sou pecado por não
crer no passado, e se ontem
fui adeus é porque não há
futuro no horizonte.
O amanhã foi confiscado.

Facebook

A impressão é
v e r d a d e i r a,
mas a vida de
domingo a
dezembro é
uma farsa.