quinta-feira, 25 de setembro de 2008

soneto

esclarecido. como ser assim, esclarecido!?
como dizer que, sim, sou exatamente isso!
se ao terminar isso, não mais saberei dizer
o que quer dizer isso.

preciso. como ser assim, imprescindível!?
como viver assim em busca de exatidões
necessárias, se eu sei que as poucas coisas
que preciso são supérfluas e enigmáticas.

simpático. como ser assim tão afável!?
como sorrir assim em busca de atenção,
se a minha intenção de sorrir é improvável.

simples. como ser assim, puro!?
se oriundo de varias crenças e substâncias
ortodoxamente simpáticas, precisas e pouco

[esclarecidas].