segunda-feira, 31 de março de 2008

Poeta sou

o poeta é um fingidor, o fingidor em pessoa.
o poeta é falso na veracidade de suas pessoas,
tão falso quanto múltiplo.
o poeta finge ser mais forte com sua poesia,
engana-se em pensar que tem amparo dentro das suas poesias.
o poeta abriga-se em palavras que revelam sua alma,
em palavras que gritam por sua alma,
o poeta tem a alma bastante fragilizada,
impregnada de palavras que pra ele não dizem nada.
o poeta é um fingidor.
é tentar deixar na poesia a sua dor,
é buscar na poesia a compreensão do amor, e,
é fazer da poesia o santo sudário do amor.
é tudo aquilo que envolve e que dispersa o amor.
o amor é um fingidor, e,
faz do poeta um ser incapaz de ser verdadeiro,

pois ser verdadeiro é fingir ter o amor.